Química pede tratamento

Woman washing hair in bathroom sink
Parece óbvio, né? Mas as pessoas costumam escutar essa frase e deixar para lá.
Muitas vezes acham até que o cabeleireiro está tentando “empurrar” o serviço.
Mas a verdade é que, por mais saudável que seja o cabelo, um procedimento químico (coloração e mecha, por exemplo) altera a estrutura do fio. Por isso é superimportante fazer um tratamento. Uma hidratação resolve? Ajuda! “Hidratação é reposição apenas de água. Mas na maioria das vezes um cabelo com química pede uma reconstrução, que repõe proteínas e nutrientes, entre outros”, explica o cabeleireiro Anderson Couto.
E como cabelo saudável é sinônimo de cabelo lindo, e no Majestic a proposta é de “cabelo de Instagram”, foram criadas ações para quem quer tratar no dia da coloração (mechas e raiz).

 

 

O Nounou, da Davines, por exemplo, só pode ser feito nesse dia e custa apenas R$ 140.
Já o Nutri-Enrich, a nutrireparação da Wella, de R$ 200 sai por R$ 125 (curtos) e de R$ 210 sai por R$ 145 (médios).
Dá para sair com os fios tratados por menos de R$ 150*!

 

 

Dúvidas sobre tratamentos:
Dá para fazer em casa?
Hidratação, sim. Mas é preciso usar produtos indicados para o seu tipo de cabelo (peça ajuda para o cabeleireiro). Além disso, é importante checar na embalagem se há queratina, aminoácidos ou produtos químicos como formaldeídos. “Se usados em quantidade errada, esses produtos podem deixar o cabelo ainda mais pesado. Por isso o ideal é que sejam aplicados por um profissional”, ressalta Anderson.
E pode fazer reconstrução sempre?
Isso também varia de acordo com cada cabelo, ou melhor, com o estado do cabelo. O intervalo de 15 dias é uma boa media. Já a hidratação (feita no salão ou em casa) pode ser realizada uma vez por semana. “Fazer reconstrução em um período de tempo menor só se o cabelo estiver muito quebrado. De 15 em 15 está ótimo! Já hidratação pode fazer até todo dia se quiser”, explica Anderson.

 

*Válido somente no dia da coloração (mechas e/ou retoque de raiz).
Post publicado originalmente em 27/01/2015.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *