Kalvyn Bravo entra para o time Majestic

Foto: Carla Barraqui

Oi, meu nome é Kalvyn Bravo, sou cabeleireiro e eu completei 28 anos recentemente. Quem me conhece vai perceber que sou um profissional que ama o que faz, que busca ao máximo compreender o que cada cliente quer e precisa.

Para mim, a melhor parte da minha profissão é o bem que eu posso proporcionar para cada pessoa que passa pela minha cadeira, já que trabalhamos com um dos sentimentos mais plurais, capaz de mudar tudo na vida de uma pessoa, a autoestima. 

Eu acho que o que caracteriza o meu trabalho e que reflete a minha identidade é o meu atendimento. A forma que eu vejo as relações entre profissional e cliente, o cuidado e a essencialidade do diálogo. A importância da sensibilidade para perceber as singularidades de cada uma/um que passa por mim.

Gosto muito do conjunto coloração e corte, do resultado que os dois trazem. Eu me identifico muito com o conceito do natural, despojado. Amo fazer morenas iluminadas, aquele cabelo que acabou de sair da praia e ruivos.

Sou uma pessoa com poucos ídolos. Admiro muito um cara, que apesar de muito novo, traz uma visão e uma mensagem muito bonita e sobretudo necessária da realidade social que vivemos, o Djonga. Na minha vida pessoal minha grande referência é o meu avô, símbolo de amor, dedicação, respeito e integridade. Na minha vida profissional o Rafael Bertolucci é uma grande referência de trajetória profissional.

No dia a dia, eu amo receber meus amigos em casa, beber um chopp e jogar conversa fora. Não dispenso um bom papo, amo praia e me considero um ótimo churrasqueiro (modéstia à parte) risos.

Comecei a trabalhar desde muito cedo, minha mãe fazia um curso de cabeleireiro justamente na época em que eu estava me formando no ensino médio, ela por sua vez nunca engatou na profissão efetivamente. Nunca me interessei pelas profissões mais populares entre os meus colegas na época, as mais convencionais. Ainda muito jovem, meu objetivo era retorno financeiro rápido, buscava minha autonomia.

Acompanhando o desenvolvimento da minha mãe no curso, a tesoura me chamou atenção, me interessei pela profissão, fiquei curioso. Concluí o curso mas ainda não tinha certeza se era essa carreira que eu realmente queria. Cheguei a permear por outras áreas durante um curto espaço de tempo. Mais a frente fui me aperfeiçoando, algo me dizia que era isso que eu realmente queria e me realizaria profissionalmente. As oportunidades começaram a surgir. Fui buscando cada vez mais a minha evolução profissional, me sentia realizado e com vontade de saber mais, de otimizar ainda mais os resultados dos meus atendimentos. Posso dizer hoje, que amo o que eu faço, que me encontrei profissionalmente.

Sou formado pelo Senac, Academia Werner (Coloração), Academia Internacional Pivot Point (Corte) e Academia L’oréal.

Desde que conheci o Majestic me vi trabalhando nele. Eu súper me identifiquei com  o conceito e o perfil do espaço. Sempre tive a sensação que era exatamente o que eu precisava e que tinha tudo a ver com o que eu acredito profissionalmente. 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *