Flávio Souza entra pro time Majestic

Apesar de sempre ver a mãe cabeleireira atendendo, Flávio nunca se interessou muito pela profissão. Até que em 2004  trabalhou no estoque de um salão. “Ali fui olhando, me interessando e vendo as transformações que aconteciam. Então percebi que eu gostava mesmo era de trabalhar com cabelos”, conta.

O primeiro curso foi o Senac, depois vieram Pivot Point, vários da L’Oréal e recentemente o programa ExperTeam, da Wella, uma maratona de nove meses na ponte-área Rio-São Paulo. “Precisa ter muita humildade para aprender, estudar bastante, porque cabelo não é um mistério, mas é muita responsabilidade para o cabeleireiro. Então é estudar, estudar e estudar”, pontua.

Com tantos cursos e muitos anos de experiência, as clientes de Flávio podem esperar um trabalho “limpo”, como ele próprio define. “O meu diferencial é que não consigo fazer nada 99%, tudo que faço tento fazer o melhor, pra chegar nos100%”, completa. Flávio conta que foi “doutrinado”a fazer de tudo na profissão – corte, cor, mechas, escovas e tratamentos-, mas confessa que tem uma “caidinha”pelas mechas.

Quando não está entre pincéis, pentes e tesouras, o profissional aproveita para ficar com a família, em especial o filho de quase 3 anos. “Ele que é meu combustível, minha vida”, derrete-se.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *